Glória do desporto nacional!

Oh, Internacional

Que eu vivo a exaltar

Levas a plagas distantes

Feitos relevantes

Vives a brilhar

Correm os anos, surge o amanhã

Radioso de luz, varonil

Segue a tua senda de vitórias

Colorado das glórias

Orgulho do Brasil

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Memórias Coloradas: Ayrton Luiz Balsemão

O colorado Ayrton Luiz Balsemão enviou ao Arquivo Histórico algumas de suas relíquias coloradas. Entre elas uma carteira de Sócio Patrimonial Juvenil e um cartão de felicitações de aniversário assinado por Pinheiro Borda. 





quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Um arquivo para as cartas de Gilmar



O goleiro Gilmar dos Santos Neves foi bicampeão das copas de 1958 e 1962. Na primeira Copa que disputou, Gilmar levou quatro gols em seis jogos. E, na época, estabeleceu um recorde de 369 minutos invicto. Passou em branco nos quatro primeiros jogos e só foi vazado aos 9 minutos do primeiro tempo na semifinal contra a França. A marca do goleiro foi batida pelo inglês Banks em 1966 e outras vezes depois disso. Em 1962, Gilmar sofreu cinco gols em seis jogos e foi eleito o melhor da posição na competição. Ele ainda esteve no Mundial de 1966 e, nele, sofreu a única derrota da carreira em Mundiais: 1 a 3 para a Hungria. Atuou também na vitória de 2 a 0 sobre a Bulgária. No último jogo – derrota de 1 a 3 para Portugal –perdeu a posição para Manga. Gilmar faleceu em 25 de agosto de 2013.

Referências:
Revista Manchete Esportiva nº 5 24/12/1955 - disponível para pesquisa na biblioteca Zeferino Brazil na FECI - Sport Club Internacional

http://www.omundodascopas.com.br/2013/08/25/o-voo-aos-ceus-de-gilmar-dos-santos-neves/

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

José Pinheiro Borda foi presidente do Conselho Administrativo do Sport Club Internacional e da Comissão de Obras do Estádio Beira-Rio. Colorado apaixonado, dedicou os anos finais da sua vida ao Clube, trabalhando incansavelmente para a construção do Estádio Beira-Rio. Faleceu em 25 de abril de 1965, anos antes da inauguração do estádio. 



José Pinheiro Borda observando a maquete do estádio colorado.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Roteiro técnico do estádio Beira-Rio em 1969


Você, como bom colorado que é, deve estar acompanhando as notícias das obras de modernização do estádio Beira-Rio, mas você sabe como ele era quando foi inaugurado? Em abril de 1969, foi publicada na Revista do Internacional uma edição com todo o roteiro técnico do Gigante da Beira-Rio. Essa revista está à disposição para consulta local no Acervo da Biblioteca Zeferino Brasil na Fundação de Educação e Cultura do Sport Club Internacional.

O Beira-Rio começou a ser construído em 1963 com o apoio de torcedores que contribuíam com dinheiro ou material de construção para que o estádio fosse erguido.  Sua estrutura se apoiava sobre 804 estacas num perímetro de 725 metros. A marquise foi construída apenas sobre o setor “social” do estádio, pois para outro lado havia a possibilidade de construir um terceiro anel de arquibancadas. Toda essa estrutura gerou uma capacidade para 110.000 pessoas assistirem aos jogos. O gramado, do tipo Bermuda Grass, fornecido pelo Country Club de Porto Alegre foi plantado muda por muda. Além disso, o campo possuía um sistema de drenagem moderno com bombas de recalque.

Em tecnologia, o Gigante era um dos estádios mais modernos do mundo. A sonorização ao redor do campo possuía 12 caixas acústicas especiais, possuía um grande sistema de iluminação com 400 lux de intensidade luminosa e era o único estádio do Brasil que dispunha de um placar eletrônico. Além de toda essa modernidade, no Beira-Rio, havia 40 bilheterias, 37 sanitários, 20 bares, a Churrascaria Saci, 5.000 vagas de estacionamento e um ancoradouro para pequenas embarcações que vinham pelo rio Guaíba.

O Gigante da Beira-Rio foi inaugurado no dia 06 de abril de 1969. Na época, a imprensa o elogiava como o maior e mais moderno estádio particular de futebol do mundo. E, ao longo de seus quase 45 anos, o estádio sempre passou por pequenas reformas para atender às exigências da CBF e garantir o bem-estar do torcedor colorado e atualmente passa por uma remodelação para atender a grandiosidade de uma Copa do Mundo.

Abaixo duas imagens da divulgação das campanhas de doação:

Campanha de doação de cimento.

Campanha de doação de tijolos.

Texto elaborado por:
Fagner Dornelles de Souza
Equipe de Pesquisa Histórica
Museu do Sport Club Internacional Ruy Tedesco


segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Museu do Inter: a importância do acervo para a realização de ações educativas

Podemos dizer que vários elementos são necessários para compor um museu, porém um deles se mostra muito importante na hora da elaboração das atividades do setor educativo: o acervo. A partir deste elemento podemos elaborar diversas atividades, conhecer um pouco mais de um fato, uma época ou até mesmo uma pessoa. Sendo responsável pelo atendimento ao público e pelos projetos pedagógicos do Museu do Inter, o setor educativo tem como um de seus suportes para elaboração das atividades o acervo presente na instituição, divulgando a história do clube através de ações educativas e recreativas junto à comunidade.

Como exemplo destas práticas, podemos citar a parceria feita entre a divisão de Biblioteca da Fundação de Educação e Cultura do Sport Club Internacional (FECI), e o Setor Educativo do Museu do Sport Club Internacional – Ruy Tedesco, o qual realizou algumas atividades com as crianças que participam da oficina Letrinhas Coloradas, coordenada pela bibliotecária Ana Bicca.

Apesar de estar fechado para o atendimento ao público, o museu continua realizando atividades internas e com o acervo. A partir de oficinas já elaboradas pela equipe, foram feitas ações educativas abordando questões como a importância do trabalho em grupo e a função de cada jogador em campo, com a Oficina Minicraques, e a história do clube com a contação da história “Chica, a cabrita da sorte”.

A Oficina Minicraques, além de trabalhar as questões citadas acima, visa refletir sobre o futebol e a construir, de maneira participativa, novos conhecimentos. A proposta lúdica se concretizou com a confecção dos ‘minicraques’, bonecos em E.V.A. com o rosto dos jogadores, e com a construção de um painel em feltro contendo a escalação tática proposta pelas crianças para o time. Nesse momento, cada um tornou realidade o sonho de ser jogador de futebol, demonstrando sua preferência por cumprir a função de ídolos como D’Alessandro, Leandro Damião, Muriel, entre outros.

Já com a contação da história “Chica, a cabrita da sorte”, as crianças puderam conhecer um pouco mais da história do clube e de um dos mascotes do time: a cabrita Chica. Para confecção da história, foram utilizadas reportagens de jornais, além de entrevistas de jogadores da época feitas pelo Setor de Pesquisa do Museu do Inter.

Todas essas ações demonstram a importância de um trabalho em equipe entre os setores de dentro do museu, assim como destaca a relevância da parceria museu + biblioteca + arquivo. A utilização do acervo foi fundamental para a elaboração dessas oficinas, ressaltando uma de suas principais funções que é o retorno para a comunidade do trabalho ali é desenvolvido.



Texto elaborado por: 
Karolyna Cristane
Setor Educativo
Museu do Sport Club Internacional – Ruy Tedesco

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

O rico acervo da Biblioteca do Sport Club Internacional

A Biblioteca Zeferino Brazil do Sport Club Internacional nasceu de um pequeno acervo bibliográfico nos primórdios de 1929. Contudo, sua fundação foi oficializada em 04 de abril de 1943 na gestão do então presidente Sr. Abelard Jacques Noronha e teve como paraninfo o historiador e escritor Olyntho Sanmartin. Em 1972 a biblioteca passou ser a primeira biblioteca privada de acesso público e em 23/10/1974 com a Divisão Cultural do Departamento de Relações Sociais foi cadastrada junto ao Conselho Estadual de Cultura. Aos vinte e um dias do mês de agosto de 1991 a Biblioteca Zeferino Brazil passou a integrar o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Rio Grande do Sul e no ano de 2010 obteve sua inscrição junto ao Sistema de Bibliotecas Públicas Brasileiras fornecido pela Fundação da Biblioteca Nacional.

 Abaixo algumas imagens de revistas do acervo da Biblioteca.




 




A Biblioteca também possui uma cópia do livro Rio Grande do Sul Sportivo - Histórico dos Principaes Centros Sportivos do Estado, organizado por Edmundo de Carvalho e Antenor Lemos, ex-presidente do Sport Club Internacional. Clique aqui para visualizar as imagens dos primeiros anos de Sport Club Internacional que estão no livro.

Saiba mais sobre o acervo da Biblioteca: http://www.feci.org.br/index.php/biblioteca